Preciso aumentar minha casa. Qual a maneira correta de fazer isso?

O arquiteto chileno Mathias Klotz ampliou a própria casa, originalmente térrea, em 140 m², acrescentando um subsolo e mais tarde o pavimento superior.

Um imóvel que não comporta mais o tamanho da família é um problema bastante comum. Ao longo dos anos a família vai aumentando, chegam novos filhos ou outros parentes e os cômodos, que antes eram suficientes, não conseguem mais dar o mesmo conforto a tantos moradores. Porém, ao contrário dos prédios de apartamentos, as casas, na maioria das vezes, oferecem a oportunidade de ampliação. Em geral esta ampliação pode ser feita de duas maneiras: aumentando os cômodos existentes ou adicionando novos cômodos. Entretanto, que cuidados devem ser tomados?

• Legislação – há sempre uma legislação referente ao uso do solo, aos coeficientes de aproveitamento do terreno, às taxas de ocupação, aos gabaritos e aos recuos. Logo, antes de ampliar uma casa é importante checar se a legislação permite tais incrementos de área. Verifique se são exigidos recuos. Muitas das ampliações de área invadem recuos obrigatórios frontais ou laterais. Veja se o coeficiente máximo de aproveitamento do terreno não está esgotado e preste atenção nos gabaritos (alturas máximas permitidas). Algumas vezes vemos casas que vão crescendo para o alto e chegam a três, quatro andares em locais onde essa altura não é permitida. Verifique se há leis de tombamento. Bairros como os Jardins, em São Paulo, são tombados e qualquer ampliação deve ser cuidadosamente estudada. Caso a legislação não seja respeitada, a sua obra poderá ser embargada e você poderá ser multado. Além disso, ficará com uma construção irregular eternamente aguardando alguma anistia da prefeitura e à mercê de fiscais.

• Dimensões do lote – Verifique as dimensões disponíveis para a ampliação. Veja se haverá de fato um ganho ou se os espaços ficarão apenas um pouco maiores a um custo muito grande. Analise se é melhor ampliar a casa para os lados, para frente ou para o fundo. Estude diferentes tipos de planta antes de se decidir por uma delas. Conte sempre com a ajuda de um profissional especializado.

• Planta interna – Junto com a análise das dimensões do lote, verifique como ficará a planta interna após a obra. Veja se a organização final fará sentido ou se para entrar num quarto será necessário passar por dentro de outro, se o banheiro estará bem localizado, se a sala terá acesso direto para a rua. Muitas vezes as ampliações são uma espécie de “jeitinho”, os espaços são muito exíguos e não permitem a solução ideal. Nesse caso, tentamos chegar o mais próximo disso, mas muitas vezes com um pouco de engenhosidade conseguimos um resultado final muito bom.

• Privacidade – Quem vai ocupar o novo cômodo? Será para um filho que nasceu ou para um primo distante? Um questionamento desse tipo pode auxiliar na definição de como será feita a ampliação da casa. Digamos que o cômodo será ocupado por um primo distante: neste caso, uma construção nova no fundo do lote e com acesso externo vai dar mais privacidade a todos. O quarto é para um filho que acaba de nascer? Então o ideal é que fique perto da mãe e, seu quarto, “colado” na construção existente.

• Iluminação e ventilação – Muitas vezes, para aumentar uma casa é necessário ocupar os poucos espaços disponíveis do lote. Em geral, esses espaços são a fonte de iluminação e ventilação para o interior da casa. Sendo assim, quando a casa é ampliada, os espaços internos ficam escuros e mal ventilados, causando problemas de salubridade. As roupas não secam ou é necessário permanecer o dia todo com as lâmpadas acesas. Logo, preste atenção para este problema e caso algum ambiente vá ficar sem janelas, procure uma solução alternativa, como as aberturas zenitais (através da cobertura) ou, pelo menos, algum sistema de ventilação forçada.

• Estanqueidade e drenagem – na maioria dos casos, as ampliações se dão de forma horizontal e o espaço que antes era apenas um beiral vira um novo quarto. É importante atentar para a nova forma de lidar com as águas da chuva. Faça uma revisão no sistema de coletar essa água para não sofrer com infiltrações posteriormente. O mesmo ocorre no piso. Veja se o novo cômodo não ocupa uma área de um antigo jardim ou por onde a água da chuva escoava. Assegure-se de que a nova construção não está obstruindo o caminho da água, sob pena de ter sua casa alagada nos dias de chuva mais forte.

• Estrutura – preste muita atenção nas características da estrutura existente. No caso de uma ampliação para os lados, frente ou fundo, será necessário algum tipo de fundação para os novos cômodos. Se a fundação da nova construção não for bem feita, a estrutura existente pode sofrer com recalques diferenciais, por exemplo. Ou seja, partes da casa antiga podem “afundar” mais do que outras e aparecerão as famosas trincas por todo canto. No caso de uma ampliação para o alto, ou seja, a construção de um novo andar, o cuidado deve ser redobrado. Veja se a estrutura existente de pilares e vigas suportará o peso extra de uma laje, paredes e telhado novo. Muitas vezes é necessário construir uma nova fundação, mais forte e resistente, novos pilares, novas vigas e aí sim apoiar o novo andar acima do existente. É importante aqui contar com um profissional especializado para calcular essa sobrecarga.

• Aspecto estético – como ficará a casa após a ampliação? A parte nova conversará com a antiga? O conjunto final ficará harmônico? A parte nova imitará a antiga ou será propositalmente contrastante? Lembre-se que você está aumentando a casa para que ela fique confortável durante mais alguns anos pelo menos, ou seja, é importante que o resultado agrade e ao final da obra todo o seu esforço seja para uma bela ampliação ao invés de um mero “puxadinho”.

Tenha sempre em mente que o ideal em uma reforma ou ampliação é contar com bons profissionais. Se possível, consulte sempre um arquiteto ou um engenheiro para que seu dinheiro seja bem gasto. Não encare como um custo: se você pagar 5% do valor de sua ampliação a um profissional, a obra não ficará 5% mais cara, e sim os outros 95% do dinheiro serão provavelmente melhor empregados. Muito cuidado com puxadinhos feitos de qualquer forma; às vezes essa ideia pode sair muito cara.

Fonte: http://casaeimoveis.uol.com.br/tire-suas-duvidas/arquitetura/preciso-aumentar-minha-casa-qual-a-maneira-correta-de-fazer-isso.jhtm acessado em 11/02/2013 às 20:30h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post